Gilmar Bosquette

Gilmar Bosquette

O TEC entrou em campo hoje sem mudanças com relação ao último jogo contra a Seleção de Marechal C. Rondon. Com André Luiz no gol, Everton na lateral direita, Adriano na esquerda, Eduardo e Fandinho na zaga. No meio de campo Netto, Jhonathan, Revson e Pacato. E no ataque Wayny e Eduardinho.

A equipe do Professor Agenor Piccinin apresentou um futebol muito compacto e sólido na marcação no primeiro tempo. Conseguiu segurar a forte equipe do Cianorte e ainda criou as melhores chances de gol da primeira etapa. E foi justamente num contra-ataque, na velocidade do meia Pacato e na precisão do goleador Wayny que o TEC anotou o primeiro gol do jogo aos 14′.

A volta do intervalo teve diversas mudanças de ambos os lados para dar tempo de jogo para a maior parte dos dois elencos. O Cianorte manteve o domínio da posse de bola enquanto o TEC manteve-se contra-atacando. No entanto, em duas desatenções da equipe, o Cianorte aproveitou e marcou. Um de cabeça após cobrança de falta, aos 7′, e outro na perda de bola na saída de jogo, aos 42′.

Apesar do resultado desfavorável, o Professor Agenor avaliou positivo o teste para a preparação da equipe e mantém-se confiante para a estréia do Campeonato!

Texto: Assessoria de Imprensa Toledo Esporte Clube.

Sábado, 12 Janeiro 2019 10:17

Vale Verde FM entrega doações à Uopeccan

Na tarde desta sexta feira (11), a Rádio Vale Verde FM representada pelo comunicador Gilmar Bosquette, esteve entregando as doações feitas pelos aouvintes para a Casa de Apoio da UOPECCAN (hospital do câncer), em Cascavel. 

Sexta, 11 Janeiro 2019 15:31

Inflação oficial fecha 2018 em 3,75%

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do Brasil, fechou 2018 em 3,75%, abaixo do centro da meta fixada pelo governo, que era de 4,5%. Em 2017, o índice ficou em 2,95%.

O resultado, divulgado nesta sexta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), está dentro do esperado pelo mercado e cumpriu com folga a meta de inflação perseguida pelo Banco Central, ficando dentro do intervalo de tolerância previsto pelo sistema (entre 3% e 6%).

Analistas previam uma inflação de 3,69%, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central.

Plano de saúde, energia e gasolina foram os vilões

Segundo o IBGE, a inflação de 2018 foi pressionada principalmente pelos preços dos produtos e serviços de habitação, transportes e alimentos. Juntos, estes três grupos responderam por 66% do IPCA do ano.

$1·         Veja as maiores altas e as maiores baixas e o que mais pesou

Individualmente, o preço do plano de saúde foi o item com maior impacto na inflação do ano, segundo o IBGE. Com alta acumulada de 11,17%, os planos de saúde responderam por 0,44 ponto percentual (p.p.) do índice geral de 2018, de acordo com o gerente da pesquisa, Fernando Gonçalves.

Na sequência, os outros dois itens com maior impacto individual no indicador foram a energia elétrica, com alta de 8,7% e impacto de 0,31 p.p. no índice, e a gasolina, que aumentou 7,24% nos 12 meses impactando em 0,31 p.p. o IPCA acumulado do ano.

óleo diesel fechou o ano acumulando alta de 6,61%, enquanto o etanol teve queda de 0,40%.

Outros destaques de alta no ano foram passagem aérea (16,92%), ônibus urbano (6,32%), eletrodomésticos (6,28%) e cursos regulares (5,68%).

Em alimentos, as altas que mais pesaram no índice geral foram as do tomate (71,76%), frutas (14,10%) e refeição fora (2,38%).

Veja abaixo a inflação acumulada em 2018 por grupos pesquisados e o impacto de cada um no índice geral:

$1·         Alimentação e Bebidas: 4,04% (0,99 ponto percentual)

$1·         Habitação: 4,72% (0,74 p.p.)

$1·         Artigos de Residência: 3,74% (0,15 p.p.)

$1·         Vestuário: 0,61% (0,04)

$1·         Transportes: 4,19% (0,76 p.p.)

$1·         Saúde e Cuidados Pessoais: 3,95% (0,48 p.p.)

$1·         Despesas Pessoais: 2,98% (0,33 p.p.)

$1·         Educação: 5,32% (0,26 p.p.)

$1·         Comunicação: -0,09% (0 p.p.)

Inflação em dezembro

O IPCA de dezembro foi de 0,15%, a menor variação para um mês de dezembro desde o início do Plano Real, em 1994. Em novembro, o país registrou deflação de 0,21%, a menor taxa para o mês desde 1994.

Em outubro, o índice acumulado em 12 meses chegou a 4,56%, mas desacelerou nos dois últimos meses do ano, favorecido pela queda do preço da gasolina e recuo do dólar.

"Ao longo do ano, foram deixadas para trás todas as quedas na alimentação registradas ao longo de 2017. Alguns itens, como o tomate, subiram mais de 70% no ano. Considerando que a retomada do emprego se dá pela informalidade, isso traz uma preocupação para as famílias na hora de consumidor, priorizando itens essenciais como alimentação", afirmou o gerente da pesquisa, Fernando Gonçalves.

Ele destacou que outra forte influência em 2018, não registrada no ano anterior, foi a energia elétrica. "Em 2018, ela ficou sob bandeira tarifária vermelha dois durante cinco meses", destacou.

Fonte: G1 globo

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta sexta-feira (11) a lei que cassa a CNH de motoristas condenados que utilizaram veículos em crimes de receptação, contrabando e descaminho (entrada de mercadoria no país sem passar pelos trâmites legais).

De acordo com o texto publicado no Diário Oficial da União, a punição vale para o condutor que tiver a decisão judicial transitada em julgado. Nesse caso, o criminoso terá seu documento de habilitação cassado ou será proibido de obter a CNH pelo prazo de 5 anos.

Depois desse período, o condutor poderá requerer nova habilitação e passará pelos exames necessários para conseguir o documento. A nova lei entra em vigor a partir da data de sua publicação.

Prisão em flagrante

No caso de ser preso em flagrante, o motorista poderá ter a habilitação suspensa ou ser impedido de obter a CNH por decisão do juiz antes da condenação.

Punição para empresa é vetada

O projeto de lei inicial também previa o bloqueio do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) da empresa que se envolvesse com transporte, distribuição, armazenamento ou comercialização de produtos oriundos de furto, roubo, contrabando, falsificação ou descaminho.

No entanto, este ponto da lei foi vetado. Outra determinação que saiu da lei sancionada foi a exigência que seria feita para estabelecimentos que vendem cigarros e bebidas alcoólicas. Eles deveriam afixar advertência escrita com os seguintes dizeres: "É crime vender cigarros e bebidas contrabandeados. Denuncie".

Fonte: G1 globo

A safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas em 2019 deve ser 3,1% maior que a do ano passado, somando 233,4 milhões de toneladas. É o que aponta a terceira estimativa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta quinta-feira (10).

Na segunda previsão, divulgada em dezembro, o órgão esperava uma safra de 231,1 milhões de toneladas para este ano.

Produção de máquinas agrícolas cresce 23,8% em 2018

Segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), a área a ser colhida também deve aumentar este ano, em 2,1%, totalizando 62,2 milhões de hectares.

Se cumprir a previsão, a colheita de grãos em 2019 deve ser a segunda maior da série histórica, iniciada em 1975. O recorde continua sendo de 2017, cuja produção totalizou 240,6 milhões de toneladas.

Milho em alta

 

Segundo a previsão, o milho deve responder por boa parte do crescimento da safra em 2019, com aumento na produção estimado em 8,6%, para 88,2 milhões de toneladas. O aumento é esperado especialmente na segunda safra, disse em nota o gerente da pesquisa, Carlos Alfredo Guedes.

“Nos principais estados produtores, as chuvas chegaram mais cedo, permitindo o plantio antecipado da primeira safra. Além disso, os preços ao produtor também estão mais atrativos que no ano passado”, explicou.

O IBGE também projeta um crescimento de 0,8% na produção de soja, que deve totalizar 118,8 milhões de toneladas, e de 6,6% no algodão herbáceo, que deve chegar a 5,3 milhões de toneladas. Por outro lado, são esperadas quedas de 4,8% no arroz, para 11,2 milhões de toneladas, e de 3% no feijão, para 2,9 milhões de toneladas.

Produção em 2018

 

Para a safra do ano passado, a estimativa de dezembro (12ª) totalizou 226,5 milhões de toneladas, montante 5,9% inferior ao volume de 2017.

Dos principais produtos, houve queda de 18,3% na previsão para colheita do milho, totalizando 81,4 milhões de toneladas. A produção do grão foi recorde em 2017.

Já a estimativa para a safra da soja aumentou 2,5%, chegando a 117,8 milhões de toneladas.

A previsão da área total a ser colhida também caiu para 60,9 milhões de hectares, queda de 0,4% em relação a 2017.

Líderes de produção

Segundo o IBGE, o estado de Mato Grosso é líder na produção nacional de grãos, com uma participação de 26,9%, seguido pelo Paraná, com 15,5%, e Rio Grande do Sul, 14,6%. Juntos, os três estados respondem por 57% da safra nacional.

Fonte: G1 Globo

A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina em suas refinarias ao menor nível em cerca de 14 meses a partir de quarta-feira (9), em meio a uma redução na cotação do dólar ante o real, um dos parâmetros utilizados pela companhia em sua sistemática de reajustes.

O corte será de 1,38% ante o valor praticado nesta terça-feira, de R$ 1,4537 para R$ 1,4337 por litro. É o patamar mais baixo desde o R$ 1,4259 visto em 24 de outubro de 2017, segundo dados da petroleira compilados pela Reuters.

O preço da gasolina vem caindo desde meados de dezembro diante da depreciação da moeda norte-americana. O outro componente de peso seguido pela estatal em seu mecanismo de reajustes é o mercado internacional de petróleo, que também apresentou quedas recentemente.

Só neste ano, o dólar já caiu 3,65%.

Os reajustes quase diários da Petrobras começaram em meados de 2017. No acumulado de todo esse período, a gasolina da estatal apresenta alta de 3,6%.

Já no caso do diesel, a cotação média na refinaria segue em R$ 1,8545 por litro desde o começo do ano.

No fim de 2018, a empresa anunciou um mecanismo financeiro de proteção complementar à política de preços do diesel, semelhante a um já utilizado na gasolina, que permite à companhia manter a cotação do produto estável nas refinarias por um período de até sete dias em momentos de elevada volatilidade.

Preços nos postos

 

Segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), o preço médio da gasolina e do diesel nas bombas caiu na primeira semana de 2019.

Na semana encerrada em 5 de janeiro, o valor médio da gasolina caiu 0,32%, ou R$ 0,01, para R$ 4,33. O preço é uma média calculada pela ANP com os dados coletados nos postos, e, portanto, o valor pode variar de acordo com a região.

Fonte G1 globo

A produção de veículos no Brasil fechou com alta de 6,7% em 2018, informou nesta terça-feira (8) a associação das montadoras (Anfavea). No total, foram feitos 2.880.724 carros, caminhões e ônibus no ano, contra 2.699.167 veículos em 2017.

Venda de veículos novos cresce 14,6% em 2018, diz Fenabrave

Depois de passar por 3 anos seguidos de queda na produção de veículos, a indústria brasileira alcançou crescimento pelo 2º ano consecutivo, mas foi afetada negativamente pela queda nas exportações.

"As exportações atrapalharam a produção. Se a meta de exportação fosse cumprida, teríamos alcançado número de produçao acima de 3 milhões, como previsto", afirmou Antonio Megale, presidente da Anfavea.

Produção de veículos novos no Brasil

 

Crise na Argentina afeta produção

 

Apesar do desempenho positivo em 2018, a produção acabou com um crescimento inferior ao visto nos emplacamentos, que subiram 14,6% no ano passado.

A alta inferior comparada à vista em 2017 foi afetada pelas exportações, que caíram 17,9% em 2018. De janeiro a dezembro de 2018, as montadoras brasileiras enviaram 629.175 veículos ao exterior, enquanto no mesmo período de 2017, melhor ano da história para exportação, o número foi de 766.013.

"A exportação continua muito fraca, com uma queda de 48% ante dezembro de 2017. Nosso principal parceiro, a Argentina, ainda deve apresentar problemas, seu mercado está caindo, fechou o ano abaixo de 800 mil unidades e a previsão era acima de 1 milhão", disse Antonio Megale, presidente da Anfavea.

No início de 2018, a Anfavea previa um crescimento total de 13,2% para a produção, mas acabou alcançando alta de 6,7%.

 

Ano fecha em baixa

 

Analisando apenas o mês de dezembro, a indústria produziu 177.700 veículos, o que representa queda de 16,8% em relação com o mesmo mês de 2017, quando 213.707 unidades foram feitas. Ao comparar com novembro, que alcançou patamar de 244.771 veículos, a queda foi de 27,4%

Empregos

 

As montadoras terminaram dezembro com o total de 130.451 empregados nas fábricas, mantendo-se praticamente estável, com leve redução de 0,6%, em comparação a novembro, quando 131.254 pessoas eram empregadas.

No entanto, em relação a dezembro de 2017, houve alta de 1,7%. Na época, 128.275 postos estavam ocupados na indústria.

 

Previsões para 2019

 

Para este ano, a Anfavea projeta um crescimento de 9% para a produção de veículos no Brasil, ultrapassando a barreira de 3 milhões de unidades - 3.140 mil, no total. Em emplacamentos, o crescimento esperado é maior, com alta de 11,4% e 2.860 mil veículos.

Novamente, a alta na produção será menor devido às exportações, que devem chegar a 590 mil unidades em 2019, prevê a entidade, o que representará baixa de 6,2%.

 

Fonte G1 - Globo

 

Numa rápida solenidade na manhã de hoje (08), na sede da ACIJ – Associação Comercial de Jesuítas foram entregues os prêmios da promoção do comércio de Jesuítas, Carajá e Iracema do Oeste do ano de 2018. O sorteio dos prêmios foi realizado no dia 31 de dezembro às 16hs. No total foram sorteados 8 prêmios, sendo 6 vales compras no valor de R$ 500,00 e um no valor de R$ 1.000.00 e um carro zero km da marca e modelo Renault Kwid que teve como ganhador o senhor Santo Brito, morador em Iracema do Oeste e que comprou e preencheu cupon no supermercado Copacol. O presidente da ACIJ, Ricardo Ferreira de Lacerda disse que a promoção de 2018 superou as expectativas e que a de 2019 já está sendo montada e em breve será anunciada aos consumidores.

 

Sexta, 04 Janeiro 2019 13:19

Toledo já treina com elenco completo

       ELENCO COMPLETO

Com a chegada dos últimos 4 reforços no CT do TEC em Toledo, o time comandado pelo técnico Agenor Piccinin já treina com o elenco completo.

Dos quatros novos nomes, três já haviam sido anunciados anteriormente. São eles: Guilherme Rend do Atlhético Paranaense, Eduardinho vindo do Cianorte e Revson que estava no Hercílio Luz-SC.

Além deles, chegou no dia 2 de janeiro em Toledo Leonardo Dreyer vindo de uma passagem de 3 anos em Portugal. O jogador é atacante e canhoto, tem 21 anos e é uma das apostas da diretoria do clube. Gaúcho de Santiago (RS), ele iniciou sua carreira de jogador de futebol no Internacional de Porto Alegre e teve passagens pelas categorias de base de Corinthians-SP, Juventus-ITA, Palmeiras-SP Atlético-MG, Ferroviária-SP, Grêmio-RS e Criciúma-SC.

A equipe ainda fará mais 2 jogos de treinamento antes do início do Campeonato Paranaense, contra a equipe de Marechal Cândido Rondon no dia 8 de janeiro às 20h00 no Estádio 14 de Dezembro e no dia 12 contra o Cianorte às 10h30, também no Estádio 14 de Dezembro em Toledo.

Confira a seguir a lista com todos os jogadores que compõem o elenco que disputará o Campeonato Paranaense 2019.

 

GOLEIROS


THIAGO | THIAGO MORAES DA SILVA

ANDRE LUIZ | ANDRE LUIZ HOROCOSKI

JOÃO | JOAO GUILHERME LAZZARI

YGOR | YGOR WILLIAM RODRIGUES

 

ZAGUEIROS


FANDINHO | BRUNO FANDINHO FRANZO

EDUARDO | EDUARDO LUIZ DALLAGNOL

HENRIQUE | HENRIQUE LUIZ KUNZLER SCHLINDWEIN

JOÃO NETO | JOÃO CARLOS SIMÕES NETO

OBINA | LUIZ HENRIQUE DE MARIA

MATHEUS DUARTE | MATHEUS DUARTE ROCHA

 

LATERAIS


ADRIANO | ADRIANO RAFAEL DA SILVA

PAULO | PAULO HENRIQUE MARTINS COSTA

EVERTON | EVERTON SOUZA DA CRUZ

COUTINHO | LUCAS RODRIGUES PEREIRA IBIAPINA

KAITO | KAITO KASUYA

EDUARDINHO | EDUARDO DOS SANTOS

 

VOLANTES


NETTO | JOSÉ RODRIGUES PINTO NETTO

GUILHERME | GUILHERME RIBEIRO REND

JHONATHAN | JHONATHAN FELIPE PEREIRA ALVES

MARCOS | MARCOS RODRIGUES DE BRITO

GIOVANNI | GIOVANNI LUIZ TAFAREL

ANAEL | ANAEL RICARDO FLORES DE LIMA

ANDREY | ANDREY PEDROSO CANO (AUSENTE)

GASPAR | GASPAR RECKZIEGLER ADAM

 

MEIAS


PACATO | JULIO GUILHERME JERÔNIMO DOS SANTOS

JULIO CESAR | JULIO CESAR MORAES DA SILVA

CHRISTIAN | CHRISTIAN GONÇALVES SCHNEIDER

GUILHERME | GUILHERME ALVES DA COSTA

REVSON | REVSON CORDEIRO DOS SANTOS

 

ATACANTES


WILLIAM | WILLIAM EMMANUEL DA ROCHA DARROS

MARCELINHO | MARCELO DOS SANTOS ROSA

TIAGUINHO | TIAGO RODRIGUES FARIA

ANDREZINHO | ANDRE LUIZ PEREIRA GOMES

PAULO CARECA | PAULO ROGERIO RODRIGUES DE LIMA JUNIOR

LEO | LEONARDO DA SILVA DREYER

 

Assessoria de imprensa TEC

 

Estão abertas as matrículas para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Secretaria da Educação do Paraná. Interessados devem procurar um Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (Ceebja) ou escola estadual que oferte a modalidade, até 18 de janeiro. As aulas começam a partir de 14 de fevereiro.

A EJA é ofertada na rede estadual a toda pessoa que deseja voltar à sala de aula para obter sua certificação do Ensino Fundamental ou do Ensino Médio, com metodologia e materiais didáticos específicos para melhor atender a esse público.

Para matricular-se é necessário apenas original e fotocópia de documento de identificação. É preciso ter no mínimo 15 anos completos para ingressar no Ensino Fundamental e 18 anos completos para o Ensino Médio. O aluno constrói sua grade curricular da maneira que for mais adequada, podendo se matricular em até quatro disciplinas.

No Ensino Fundamental as disciplinas são: Arte, Educação Física, Ciências Naturais, Geografia, História, Língua Estrangeira Moderna – Inglês, Língua Portuguesa e Matemática. No Ensino Médio: Arte, Biologia, Educação Física, Física, Filosofia, Geografia, História, Língua Estrangeira Moderna – Inglês, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia.

O Ensino Fundamental pode ser concluído em, no mínimo, dois anos e o Ensino Médio em, no mínimo, um ano e meio. A matrícula e as aulas são totalmente gratuitas e o estudante também tem direito à alimentação escolar fornecida pelo Governo do Paraná.

APROVEITAMENTO – Para concluir os estudos na Educação Básica, o estudante da EJA pode aproveitar os resultados do ensino regular que tenha cursado previamente, mediante apresentação de histórico escolar. Ele também pode aproveitar resultados dos Exames da EJA Online da Secretaria da Educação do Paraná, do Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) ou do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) anteriores a 2017.

Fonte: Bem Paraná

Pagina 1 de 9