Quarta, 13 Junho 2018 06:11

Copel orienta sobre riscos com acidentes em canteiros de obras

Postado por 
Avalie este item
(0 votos)
Copel orienta sobre riscos com acidentes em canteiros de obras Copel orienta sobre riscos com acidentes em canteiros de obras AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

A Copel promove até o fim deste mês uma campanha de orientação sobre os riscos de acidentes com energia elétrica na construção civil e manutenção predial. A principal ação consiste em palestras em canteiros de obras por todo o Paraná.
A construção civil lidera a estatística de acidentes com energia elétrica no Paraná. Em 2017, a Copel contabilizou 33 acidentes com a comunidade envolvendo choque elétrico – oito deles ocorreram em atividades de manutenção predial ou construção civil, o que representa 24% do total.
“Planejamento e atenção redobrada são essenciais para evitar acidentes com energia elétrica”, afirma o gerente de Segurança da Copel Distribuição, Alessandro Maffei da Rosa. “Por isso, a empresa faz campanhas permanentes de orientação sobre os riscos com eletricidade e como evitá-los: com o uso de equipamentos de proteção individual, respeito às normas de segurança e mantendo distância segura da rede energizada”.
Antes do início das obras também é necessário solicitar à Copel que verifique a situação da rede elétrica no local e implementar as recomendações de segurança informadas pela companhia. No caso de obras externas em edificações já existentes, recomenda-se que o síndico consulte a companhia de energia sobre possíveis riscos envolvendo a rede elétrica.
PALESTRAS – A Copel mantém um calendário de palestras para orientar a população sobre o uso seguro e consciente da eletricidade, como forma de prevenir esse tipo de acidente.
No ano passado, foram 287 eventos, com um público de 44 mil pessoas em todo o Paraná. “A Copel também visita regularmente canteiros de obras e distribui uma cartilha com orientações para trabalhadores da construção civil, além de material específico para pintores e trabalhadores que atuam em ambientes elevados”, acrescenta Maffei.