Sexta, 08 Novembro 2019 15:28

Maripá tem a 23ª melhor gestão fiscal do Paraná e 100ª melhor do Brasil, aponta Índice Firjan

Postado por 
Avalie este item
(0 votos)
Maripá tem a 23ª melhor gestão fiscal do Paraná e 100ª melhor do Brasil, aponta Índice Firjan Camila Angst / Assessoria

Enquanto um debate nacional se dá em torno da extinção de municípios com menos de 5 mil habitantes, que não se sustentam com a geração de receita própria, Maripá - com população de pouco mais de 5.800 habitantes - caminha na contramão. O município tem a 23ª melhor gestão fiscal do Paraná,a 100ª melhor do Brasil e a6ª melhorda AMOP (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná). Os dados são do Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), lançado no dia 31 de outubro.
“Estes resultados são reflexo de todo o trabalho que vem sendo desenvolvido para fazer Maripá uma cidade cada vez melhor para viver.Temos trabalhado seriamente, planejado todas as ações que realizamos e, desta forma, viemos conquistando bons resultados a fim de trazer mais qualidade de vida para quem vive aqui”, destaca o prefeito Anderson Bento Maria.
O índicefaz referência a 2018 e avaliou as contas de 5.337 municípios de todo o país, que concentram 97,8% da população brasileira. Construído com base em dados fiscais oficiais, declarados pelas próprias prefeituras, o índice é composto por quatro indicadores: IFGF Autonomia, IFGF Gastos com Pessoal, IFGF Liquidez e IFGF Investimentos.
Maripá conquistou nota máxima nos indicadoresIFGFAutonomia (1,0000), -que verifica a relação entre as receitas oriundas da atividade econômica do município e os custos para manutenção da estrutura administrativa -e IFGFInvestimentos (1,0000), - que mede a parcela da Receita Total dos municípios destinada a melhorias nas cidades.
No indicador IFGF Gastos com Pessoal, que busca avaliar o comprometimento das receitas com as despesas de pessoal, a nota foi de 0,6140. “No final de 2017 tivemos um aumento do índice de gastos com pessoal, problema enfrentado pela maioria dos municípios. A partir daí, executamos diversas ações estratégicas para reduzi-lo e chegamos agora a 46,5%, um dos melhores índices do estado”, explica Anderson.
Já no quesito Liquidez, que tem o objetivo de ponderar a relação entre postergações das despesas e disponibilidade de caixa pelo tamanho do orçamento da prefeitura,o IFGF foi de 0,7992.

Camila Angst